4 LOJAS EM RIBEIRÃO, 1 EM SERTÃOZINHO E 1 EM BONFIM PAULISTA!

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Bem-vindo(a) ao Cenourão! Faça seu login ou crie sua conta.

Mais uma da carne processada: ela estimula crises de asma

Um novo estudo sugere que consumir mais de quatro porções por semana de carnes processadas, como bacon e presunto pode dobrar o risco do problema

03/01/2017

 

Você tem asma e gosta de comer presunto, linguiça, salsicha e bacon? Está na hora de rever sua alimentação. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico Thorax, consumir mais de quatro porções de carne processada por semana pode dobrar o risco de uma crise de asma. Os autores acreditam que a ingestão de um conservante chamado nitrito, usado nesses produtos, possa ser responsável pela piora nas vias respiratórias. No final do ano passado, o consumo desses alimentos já foi associado a um aumento no risco de câncer. No estudo, especialistas do Hospital Paul Brousse, em Paris, na França, acompanharam durante quatro anos 971 pessoas com asma. Nesse período, os pesquisadores monitoraram a manifestação de sintomas da doença, como dificuldade de respiração, aperto no peito e falta de ar e a dieta dos participantes. Os resultados mostraram que aqueles que comiam pelo menos quatro porções de carnes processadas por semana tinham uma probabilidade 76% maior de apresentar uma piora nos sintomas da asma, em comparação com aqueles que comiam menos. No estudo, uma porção de carne processada equivalia a uma salsicha, duas fatias de presunto ou de salame. Os participantes que consumiam no máximo uma porção de presunto, salsicha ou linguiça por semana tiveram uma piora de 14% nos sintomas da doença. Entre os participantes que ingeriam de uma a quatro porções por semana, essa taxa subiu para 20%. Já aqueles que tinham o hábito de consumir mais de quatro porções semanais o aumento foi de 22%. Como muitos fatores afetam o risco de um ataque de asma, os autores tentaram eliminar os fatores mais óbvios, controlando o efeito de variáveis como obesidade, mas ainda assim a associação entre consumo de carne processada e piora dos sintomas se manteve.“Embora certos alimentos possam desencadear alergias em algumas pessoas, não há recomendação específica de dieta para lidar com sintomas da asma de modo geral”, afirma Erika Kennington, chefe de pesquisa no centro Asthma UK, à rede britânica BBC. Como esse foi apenas um estudo observacional, especialistas ressaltam que a relação de causa e consequência entre o consumo de carne processada e a piora na asma não foi provada e pedem mais pesquisas sobre o assunto. Entretanto, ressaltam a importância da manutenção de uma dieta saudável e variada com a ingestão de, em média, 70 gramas de carne vermelha ou processada por dia. Isso equivale a uma salsicha mais uma fatia de bacon. Catherine Collins, da Associação Britânica de Nutrição, recomendou, em entrevista à BBC, uma dieta “variada e de estilo mediterrâneo”. com muitos produtos frescos, “mesmo se tenha ou não asma”. A asma é uma das doenças crônicas respiratórias mais comuns e afeta tanto crianças quanto adultos. Não existe uma causa única para a afecção, mas alguns fatores como genética, ambiente (poeira, pelos de animais) e o tabagismo, podem aumentar a probabilidade de seu desenvolvimento. Alguns sintomas são dificuldade de respirar, dores no peito, tosse e espirros. Estima-se que cerca de 300 milhões de pessoas no mundo convivam com o problema e que sua prevalência aumente em 50% a cada dez anos. No Brasil são 20 milhões pacientes asmáticos, o que significa uma prevalência de 10% na população. A asma é a quarta causa de internação pelo Sistema Único de Saúde, com 160 mil hospitalizações em 2011.

Fonte: Revista Veja, Ed. Abril.

Voltar